Isaque Ferreira

Isaque Ferreira nasceu no Porto, em 1974. Bibliófilo e leitor de poesia, é uma das vozes mais assíduas nas «Quintas de Leitura» do Teatro do Campo Alegre, no Porto. Coordena diversas propostas em que a poesia assume papel cimeiro, destacando-se os «Ciclos de Música e Poesia», da Fundação Cupertino de Miranda, e a «Oficina Locomovente da Poesia», para os Encontros Mário Cesariny, ambos em Vila Nova de Famalicão, a «Poesia na Relva», no Festival de Paredes de Coura, e «três vozes transeuntes nas ruas da poesia», para o Correntes d’Escritas, na Póvoa de Varzim. Integra os colectivos poéticos «Caixa Geral de Despojos» e «Stand Up Poetry». É responsável pelo Laboratório de Poesia «para que alguns a possam amar». É programador do «REALIZAR:poesia», evento anual de atitudes poéticas, em Paredes de Coura, e curador das exposições «MIL ANOS ME SEPARAM DE AMANHÃ – viagem ao universo de Mário de Sá Carneiro no centenário da sua mort», em Paredes de Coura, e «Reencontro com Vergílio Ferreira», para a Feira do Livro do Porto. Participou nos filmes Terceiro Pano, de João Filipe Jorge, Dia de Visita e Bicicleta, de Luís Vieira Campos, As Cartas do Rei Artur, sobre Cruzeiro Seixas, de Cláudia Rita Oliveira, e Decrescente, de Saguenail. Coordenou a investigação e o argumento do documentário Laureano Barros – rigoroso refúgio. Foi director artístico de «Biblioteca Vertical – Homenagem a Laureano Barros». Compôs a seleção de poemas do livro de divulgação científica ESSES OSSOS, de Catarina Ginja. Integrada na Rota das Catedrais a Norte, criou VISITA SINGULAR, que apresenta com o músico Blandino, para a DRCN. Está a ler.