Miguel Miranda

Nasceu no Porto em 1956. Recebeu o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco da Associação Portuguesa de Escritores em 1996 (com o livro Contos à Moda do Porto), o prémio Caminho de Literatura Policial em 1997 (com O Estranho Caso do Cadáver Sorridente) e o prémio Fialho de Almeida SOPEAM 2011 (com o livro A Maldição do Louva-a-Deus). A sua obra percorre o romance, o conto e a literatura policial, com uma pequena incursão na literatura infantojuvenil. Está publicado em diversas coletâneas de contos, editado e traduzido em Itália e França. Está representado no Dicionário das Personalidades Portuenses do Século XX, editado pela Porto Capital Europeia da Cultura 2001. A sua escrita, segundo Fernando Venâncio, usa «uma expressão enxuta, exacta, por vezes envolvente e alada» (Jornal de Letras, Artes e Ideias, 10 de abril de 1996). Os direitos dos seus livros já foram vendidos para França e Itália.