António Gil

Nascido em Angola. Vindo para Portugal em 1974. Iniciou e concluiu os estudos secundários em Viseu. Cursou Arquitetura na ESBAP, mais tarde FAUP e na FAUTL. Professor do 3.º Ciclo. Poeta, ficcionista, cartoonista (sob o nome Jo). Publicou a céu aberto (Prémio de Revelação APE de 1999, edição Difel 2002), Canto Desabitado (edição Ave Azul 2006), Indústrias do Absoluto (edição Areias do Tempo 2011), Obra ao Rubro (Lua de Marfim, 2012) e Oásis (Edições Esgotadas 2014). Prémio de Revelação de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores (1999) Prémio Animarte-Viseu (2001). Encenação da Peça Pisa-Relva pelo Teatro de Ferro. Colaborou nas revistas ZUT, Plágio, Ave Azul e nas antologias Regresso à Condição (Viseu Ut Pictura Poesis, edição IPV 2001) e Rio de Doze Águas (Coisas de Ler 2012).